Governo do Distrito Federal
6/03/22 às 15h11 - Atualizado em 1/06/22 às 11h27

Turismo náutico gera muitos empregos no DF

 

Cada barco que navega no Lago Paranoá abre de 4 a 7 postos de trabalho. Como quarta frota do país, Brasília desponta como destino nacional e internacional e já é classificada entre os cinco melhores lugares do Brasil, como atração aquaviária


“o potencial do Lago Paranoá está atraindo visitantes e investidores do Brasil e do exterior”

OLHO

 

Além do lazer, a ocupação do Lago Paranoá proporciona uma geração de emprego e renda para muitas famílias, da ordem de aproximadamente 250 mil postos de trabalho. No esporte, cerca de 31 eventos são realizados anualmente. A secretária de Turismo do DF, Vanessa Mendonça, destaca que a infraestrutura aquaviária de Brasília é de nível internacional e que os investimentos não param. As marinas públicas estão chegando e a autorização para a elaboração dos projetos já foi dada a cinco consórcios. Empresários e fazendeiros de Goiás, Mato Grosso do Sul e parte de Minas Gerais estão alugando marinas e vindo passar os finais de semana e feriados em Brasília. Eles vêm de distâncias até 500 km, atraídos por nosso potencial náutico. A pesca no Lago também obtém benefícios sociais. Cerca de 45 mil pescadores cadastrados recebem o auxílio defeso, salário que é pago aos pescadores profissionais artesanais durante a época de reprodução dos peixes. Brasília está chamando atenção do Brasil e do exterior com a potencialidade do Lago Paranoá. Os números são impressionantes: quarta maior frota do Brasil; 48 km de espelho d’água; maior lago artificial urbano do mundo, navegabilidade o ano todo.

 

Brasília é a nova atração das águas no Brasil?

 

Brasília desponta como a mais nova referência de turismo náutico no país. O Lago Paranoá abriga a quarta maior frota brasileira. E, com a infraestrutura construída  pelo governo Ibaneis Rocha, nosso Lago alcança uma perenidade superior às demais represas de lagos do Centro-Oeste. Esse diferencial está atraindo proprietários de embarcações de muitas regiões. São empresários e fazendeiros de Goiás, Mato Grosso do Sul e parte de Minas Gerais que estão alugando marinas e vindo passar finais de semana e feriados em Brasília, atraídos por nosso

potencial náutico.

 

Então o Lago está se tornando um polo de geração de empregos?

 

Sim. Cada barco que entra na água gera de 4 a 7 empregos diretos e indiretos. Mas tem também a infraestrutura de hospedagem, receptivo, deslocamento, alimentação e as rotas de diversão e lazer. Na verdade, o turismo não anda sozinho, ele é agregador e conta com 53 outras atividades vinculadas, que geram milhares de empregos. O turismo é a indústria que mais emprega no mundo. Somente em Brasília, o turismo é responsável por 2,5% do PIB do DF, algo em torno de R$740 milhões por ano, distribuídos entre essas atividades da economia que vão desde um táxi até um almoço nos restaurantes da cidade.

 

Mas diretamente, qual a importância econômica do Lago Paranoá e do turismo náutico?

 

Além do lazer, a ocupação do Lago Paranoá proporciona uma geração de emprego e renda da ordem de aproximadamente 250 mil postos de trabalho. Tomando por base um salário comercial, na faixa de R$1.300,00, pelo corte médio, podemos chegar a uma folha de pagamento em torno de R$325 milhões ao ano. Nesse montante estão envolvidas as atividades do entorno do Lago, como 38 clubes, 18 marinas, 28 bares e restaurantes e 9 hotéis. O Lago Paranoá é um grande gerador de negócios e sua ocupação econômica e de lazer está crescendo a cada ano.

 

A Sra. pode fazer um retrato estrutural e de ocupação do Lago Paranoá?

 

Claro. São números impressionantes. O Lago Paranoá é o maior lago artificial urbano do mundo. Temos a sexta maior frota náutica do Brasil, com 55.090 embarcações. Estamos falando de barcos de médio porte, com 25 pés. Em Brasília, 67 mil pessoas possuem habilitação para pilotar barcos, lanchas e veleiros e 65.578 são pilotos amadores. Somente em 2021, foram emitidas 2.181 novas habilitações amadoras. E esse movimento é crescente. Agora estamos recebendo também embarcações de outros estados, o que eleva o número de barcos, embora não apareça na estatística oficial como sendo de Brasília. E temos a atividade da pesca que está inserida nessa frota brasiliense e que serve de sustento para muitas famílias. São 45 mil pescadores cadastrados para essa atividade. Um dos fatores para que o Lago seja tão procurado é a sua navegabilidade. São 48 km de espelho d’água, orla de 80 km, profundidade variando de 12 a 38 metros e uma altitude de mil metros em relação ao mar – o que garante vento bom para velejar. A segurança jurídica que permeia a relação do governo com a iniciativa privada, nos coloca numa posição muito vantajosa em termos de competitividade nacional para o Lago Paranoá. Assim, a capital do país está pronta para receber todos os investimentos e empresas do setor náutico.

 

Em relação ao Brasil, como o Lago Paranoá está classificado?

 

Recentemente, o Ministério do Turismo classificou o Lago Paranoá entre os cinco melhores destinos para turismo das águas no Brasil. Isso se deve a toda essa estrutura que falamos anteriormente. Os números do nosso lago surpreendem. Quando estive em São Paulo, no ano passado, para participar do Boat Show, a maior feira náutica da América Latina e do 6º Congresso Internacional Náutica, o segmento ficou encantado com os números e o potencial de Brasília. Essa feira movimentou R$300 milhões em negócios em sua 24ª edição. Nós temos esse potencial com o Lago Paranoá. Estamos preparados e ainda teremos as Marinas Públicas. Quatro consórcios já estão autorizados a desenvolver o projeto, que terá duas áreas: Setor de Clubes Esportivos Sul, próximo à Ponte das Garças, na altura da QL 8, e Lago Norte. O potencial do Lago Paranoá está atraindo visitantes e investidores do Brasil e do exterior.

 

E o esporte náutico?

 

Nossa programação de competições náuticas no Lago Paranoá é intensa. Na média dos últimos três anos, tivemos 31 provas. Várias escolas de canoagem, vela, remo e outras categorias estão instaladas nos clubes. A Associação Náutica de Brasília (Asbranaut) lista 12 categorias entre as principais a ocuparem suas águas. O Lago Paranoá possui o primeiro projeto de acessibilidade aquaviária do Brasil. O  projeto de reforma do Parque Ecológico do Lago Norte permite o uso, inclusive, às pessoas com deficiência ou necessidades especiais. Estão instalados pisos táteis, rampas e sinalização em braille. Várias modalidades estão chegando para o Lago, depois que esse projeto estiver totalmente concluído. Teremos paracanoagem, stand up paddle, tiro com arco, tênis de mesa, terapia em grupo, yoga, meditação e até horta comunitária. Essa capacidade para o esporte se reflete também na aventura, com jet ski, windsurf e skysurf. 

   

Quais são os segmentos parceiros nos projetos relacionados ao turismo náutico em Brasília?

 

  1. São vários. Temos a Marinha, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Polícia Lacustre, Federação Náutica de Brasília (FNB), Sindicato de Clubes e Entidades de Classe Promotoras de Lazer e Esportes do Distrito Federal (SINLAZER), Sindhobar, Abrasel e ABIH. Enfim, as entidades que de alguma forma estão ligadas ao turismo no Lago Paranoá, além da Capitania Fluvial de Brasília e da Associação Náutica Esportiva e do Turismo de Brasília (ASBRANAUT).