Governo do Distrito Federal
24/02/22 às 21h22 - Atualizado em 24/02/22 às 21h22

Qualificação eleva número de guias de turismo em Brasília

Setur entrega 24 carteiras profissionais a formandos do curso técnico do Senac e aumenta a base de atendimento registrada no Cadastur. Quantidade de guias cresceu 269% nos últimos três anos, passando de 92 em 2019 para 340, em 2022   

 

Secretária Vanessa Mendonça e os novos guias de turismo de Brasília. Fotos: Renato Braga/Setur-DF

 

 

O receptivo de Brasília está mais forte. Nesta quinta-feira, a secretária de Turismo do Distrito Federal, Vanessa Mendonça, entregou a carteira de guia de turismo para 24 profissionais recém-formados pelo curso técnico do Senac. “Foram dois anos de curso ininterrupto, mesmo com a pandemia. O Senac não parou, vocês não pararam. Nós também não”, celebrou Vanessa Mendonça. A cerimônia ocorreu no Mezanino da Secretaria de Turismo e se estendeu também aos guias que estavam renovando a carteira junto ao Cadastur no DF.

 

“Estamos ressignificando Brasília, criando novos roteiros que vão possibilitar aos guias uma melhor comercialização. Vocês hoje possuem muitos produtos para vender. Desde já coloco os Centros de Atendimento ao Turista (CAT) à disposição para servir de ponto de apoio e onde os guias poderão mostrar seu conhecimento aos visitantes e, dali, sair para visitar as nossas rotas”, informou a gestora da Setur/DF. Para Vanessa, essa qualificação dos guias é uma oportunidade de gerar emprego e renda, e as rotas turísticas elaboradas pela Secretaria de Turismo são o produto para ser vendido ao visitante.

 

Rubens Tutu, guia acostumado a levar turistas às regiões administrativas e divulgar as belezas naturais do Distrito Federal, que recebeu sua carteira, disse que Brasília é a nova referência do turismo brasileiro. “A cidade está sendo redescoberta. Antes era conexão para a Chapada dos Veadeiros, hoje recebe no turismo rural, nos hotéis fazenda, na Rota do Cavalo. O incentivo que a Setur/DF está dando torna Brasília o novo caminho turístico do país”, definiu ele.

 

Secretária de Turismo, Vanessa Mendonça, apresentou os miniguias com rotas para os formandos do curso do Senac Renato Braga/Setur-DF

 

 

Os guias assistiram a uma apresentação sobre a Coleção Rotas Brasília, que aborda oito temas a serem explorados pelos turistas, cada um deles com vários atrativos. A grande novidade anunciada pela secretária foi a Rota Brasília Sobre Rodas, que será lançada em 13 de março, um domingo, voltada para os motociclistas de Brasília e do Brasil. O subsecretário de Produtos e Políticas de Turismo da Setur, Gustavo Assis. Explicou como será a rota. Segundo ele, serão quatro circuitos: “um para o Centro Histórico de Planaltina, outro chamado Concreto, no trajeto Eixo Monumental, um cênico, focado no Cerrado e o Contorno do Plano Piloto, pegando os setores de embaixadas e o Lago Norte.”

 

Jozi Félix foi à Setur para receber a carteira de guia profissional para qualificar seu trabalho. “Eu transporto pessoas e muitas vezes me pedem para fazer um city tour. Então eu preciso estar preparada, porque presto um serviço turístico e tenho de apresentar o melhor da minha cidade”, defendeu a nova guia. Segundo ela, o turismo estava esquecido em Brasília e “agora temos alguém que enxerga o turismo com um novo olhar. Isso beneficia a todos nós”, pontuou Jozi.

 

Vanessa Mendonça informou que a Rota Brasília Sobre Rodas foi construída juntamente com um grupo de motociclistas. “Como todas as rotas que elaboramos. Sempre chamamos os representantes do segmento para definir os percursos, pois eles são os maiores conhecedores das rotas”, justificou a Secretária.

 

Vanessa Mendonça: “Não há destino turístico sem guia à frente dele” Renato Braga/Setur-DF

 

 

Os guias conheceram também os miniguias editados a partir das visitas técnicas do programa Turismo em Ação, que desloca a Setur até as Regiões Administrativas (RAs) para qualificar pessoas que atuam no segmento turístico. “Já temos os de Planaltina e Brazlândia, em março lançaremos outros”, disse Vanessa Mendonça. Ela mostrou também a possibilidade de utilização do Google Earth como plataforma para elaborar as visitas sobre os pontos destacados nos miniguias e nas rotas. “É um recurso que pode servir de preparação para os guias levarem os grupos aos destinos no DF”, sugeriu o Secretária.

 

“Somos, sim, embaixadores do turismo. Tentamos representar o máximo a cidade”, definiu o guia Rafael Lima. “Eu nasci antes de Brasília, vi a cidade ser construída, ajudei meu pai a transportar madeira para as obras”, lembrou Ana Maria Divina da Silva, a guia mais antiga da cidade. “É uma honra estar aqui”, disse a veterana.

 

“Não há destino turístico sem guia à frente dele”, afirmou Vanessa Mendonça ao destacar a importância dos guias como embaixadores da cidade. Ela destacou Brasília como destino seguro e anunciou para março a inauguração de um CAT na Quadra Modelo 308 Sul “que ficará muito próximo do Distrito Cultural da 507 Sul, onde já está grafitado o Painel dos Pioneiros fundadores e criadores de Brasília”, informou a gestora. “Mas quero ouvir as sugestões de vocês para ampliarmos o atendimento ao visitante”, solicitou a secretária.

 

Ela disse que os quatro novos voos semanais das Aerolíneas Argentinas para Brasília, partindo de Buenos Aires, vão elevar o número de visitantes e podem trazer mais dez mil argentinos anualmente para a cidade. “Já tínhamos conseguido os voos da TAP para Lisboa e agora conquistamos mais essa parceria”, comemorou a secretária.

 

Carteira de guia é instrumento para os profissionais venderem melhor o seu trabalho. Foto: Renato Braga/Setur-DF

 

 

A arquiteta Maria Luiza Valente, disse que a Setur fomentou muitos eventos e o turismo, consequentemente. “Não sabia que Brasília era tudo isso, descobri no curso”, revelou a nova guia. Ela nasceu em Brasília e resolveu se dedicar ao segmento. “É uma grande diversidade que o turismo propicia”, enfatizou. Já o argentino Daniel Ernesto, em Brasília há doís anos, disse que o guia é o primeiro contato com o turista. “Somos o cartão de visitas da cidade”, resumiu.

 

Vanessa Mendonça disse aos novos guias de turismo do DF que sua maior preocupação como gestora pública é a geração de emprego e renda e que estava feliz em poder entregar as carteiras, porque isso materializa a sua proposta. “Entregando essas carteiras e criando estes produtos em forma de rotas e miniguias, estamos dando cada vez mais condições para vocês venderem o seu trabalho. Nos fomentos que executamos na Secretaria existe a contrapartida da contratação de guias de turismo”, afirmou a gestora.

 

A secretária de Turismo informou que, desde janeiro de 2019 até esta quinta-feira, número de guias de turismo em Brasília cresceu 269%, de 92 para 340. “Temos que bater a mão no peito e dizer o quanto amamos essa cidade. E os guias são os embaixadores do turismo. Precisam dizer: É mais Brasília, é mais Brasil. Somos uma cidade que trabalha diuturnamente, não somos apenas “um grande escritório”. Estamos na linha de frente, estamos aqui para servir, a casa de todos os guias de turismo. Não devemos nada a nenhum outro destino. Estamos juntos!”, concluiu Vanessa Mendonça.