Governo do Distrito Federal
3/03/22 às 15h01 - Atualizado em 1/06/22 às 11h30

Brasília é a melhor cidade para andar de moto

Secretária de Turismo do DF fala sobre a primeira rota de mototurismo no Brasil, elaborada por motociclistas e que apresenta aos visitantes uma cidade diferente de tudo que já se viu

 

(Foto: Renato Braga/Setur-DF)

 

 
“Vamos transformar Brasília na capital do motociclismo brasileiro” 

 

OLHO 
“Temos a sexta maior frota de motocicletas do Brasil, com 439.156 unidades. Esse número representa 14% da nossa população. Essa é a primeira rota de mototurismo elaborada por motociclistas no Brasil e também se adapta aos ciclistas”

 

Brasília é a cidade mais apropriada para se andar de moto no Brasil. Algumas das razões são as ruas e avenidas largas, o asfalto plano e boa qualidade, sinalização fácil e inúmeros pontos turísticos a céu aberto, que facilitam as paradas para contemplação. A Secretária de Turismo do Distrito Federal, Vanessa Mendonça, explica que todos os projetos da Setur-DF são elaborados em parceria com o segmento envolvido e que a criação de rotas turísticas facilita a apreciação da cidade por moradores e visitantes. Vanessa Mendonça informa que Brasília tem a sexta maior frota de motos do país, com 439.156 motociclistas, 14% da população do Distrito Federal, e cerca de 86 mil ciclistas cadastrados nos grupos de bike. De acordo com o Detran-DF, somente em 2021 a venda de motocicletas no DF cresceu 44%. Vanessa Mendonça explica que  essa entrega atende um grande número de motociclistas, em torno de 115 mil, que vem à cidade anualmente.  

 

  1. Como surgiu a ideia de fazer uma rota específica para motociclistas e ciclistas?

Todas as rotas que elaboramos são desenvolvidas com a participação do segmento. Eu recebi a sugestão de alguns grupos de motociclismo e então tocamos o projeto adiante. Mapeamos os trajetos, fizemos os estudos técnicos e elaboramos o circuito. O argumento é de que Brasília é a melhor cidade do mundo para andar de moto, por suas ruas e avenidas largas, por ter pistas planas, bom asfalto e espaços abertos nos monumentos onde os grupos possam parar sem provocar congestionamentos. Essa é a primeira rota de mototurismo do Brasil elaborada por motociclistas. E ela pode ser cumprida também pelos ciclistas. Foram três anos de trabalhos até chegarmos à conclusão da rota.

 

  1. Qual é a posição de Brasília no cenário nacional do motociclismo?

Temos a sexta maior frota de motocicletas do Brasil, com 439.156 motociclistas. Esse número representa 14% da nossa população. Então, temos uma grande entrega aqui. Mas como a rota também é adaptável ao ciclismo, seu alcance aumenta em 86 mil pessoas. Juntas, as duas frotas chegam a 16% da população do DF. Números divulgados pelo Detran, revelam que o número de motos cresceu 44% somente em 2021, no DF.

  

  1. O que difere Brasília do cenário do motociclismo no Brasil?

Aqui temos uma forte presença feminina nos moto clubes. No lançamento da Rota Brasília Sobre Rodas, no domingo, dia 13 de março, dos mais de 600 participantes vindos de 28 clubes, cerca de 300 eram mulheres. Brasília tem a segunda maior participação de mulheres em grupos de motos do País. Alguns dos maiores eventos voltados para o segmento no Brasil são realizados aqui: Capital Moto Week, Brasília Moto Festival, Festival Sobre Rodas, Brasília Music Festival Moto, Easy Rider Festival e o Bike and Rock’n’Roll. 

 

  1. E como é essa rota?

Ao todo, a Rota Sobre Rodas é composta por quatro circuitos completamente diferentes, com níveis de dificuldade e oportunidade de aventuras únicas, especialmente criadas para os motociclistas. Na Rota Histórica será possível viver a experiência de conhecer Planaltina, a mais antiga cidade do Distrito Federal. Na Rota Concreto, o motorista irá percorrer as obras de Oscar Niemeyer na maior área tombada do mundo, que é o Plano Piloto de Brasília. Já na Rota Cênica/Aventura o trajeto é off road adentrando o cerrado brasiliense, o segundo maior bioma da América do Sul. Por fim, a Rota Contorno do Plano irá encantar os olhos com o maior lago artificial urbano da América Latina, o Lago Paranoá. 

 

  1. Onde é possível encontrar informações sobre os circuitos?

Nós editamos um miniguia com as informações sobre a rota. Nele estão os trajetos e informações sobre os locais visitados. Distância entre o centro da cidade e ponto final do circuito, como será o trajeto, o que poderá ser visto e curiosidades sobre os pontos  turísticos percorridos. Esse miniguia pode ser adquirido gratuitamente nos Centro de Atendimento ao Turista (CAT). Ou então na página da Setur/DF na internet, no botão Coleção Rotas Brasília (https://www.turismo.df.gov.br/rotasbrasilia/).

 

  1. O que o motociclista poderá conhecer?

Os quatro circuitos estão baseados em atrativos de 16 localidades, regiões administrativas ou bairros e estradas do Distrito Federal. Nesses locais foram demarcados pontos históricos, culturais e monumentos arquitetônicos, como por exemplo a Pedra Fundamental e o Centro Histórico, em Planaltina, a mais antiga cidade do DF. Ou então o Córrego do Ouro, em Sobradinho. Tem circuito começando na Torre de TV e terminando na Ponte JK. Também há roteiro que leva ao Vale do Amanhecer, ao Morro da Capelinha, onde se encena um dos maiores espetáculos da Paixão de Cristo no Brasil. Com essa rota, o visitante ou motociclista de Brasília tem acesso desde o turismo cívico até o rural.