Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/11/13 às 12h22 - Atualizado em 11/11/13 às 16h22

Universíade 2019 é de Brasília

COMPARTILHAR

Capital do país foi eleita por unanimidade para sediar maior evento esportivo universitário do mundo

Brasília foi a escolhida para sediar a Olímpiada Universitária de Verão, a Universíade, em 2019. O anúncio, feito em Bruxelas, na Bélgica, neste sábado (9) foi acompanhado pelo governador Agnelo Queiroz.

“A Universíade é importante para esse momento que Brasília está vivendo e, sobretudo, para o crescimento do desenvolvimento humano”, disse o governador.

Para Agnelo, “foi a vitória de um povo determinado, de Brasília e do Brasil”. As cidades concorrentes Baku, do Azerbaijãor, e Budapeste, Hungria, se retiraram da disputa assim que foi feita a apresentação dos brasilienses.

A apresentação de Brasília como cidade-sede foi um passeio brasileiro na Bélgica, que contou com vídeos sobre o projeto estrutural dos jogos, a presença de roda de capoeira, samba e passistas brasileiros, que envolveram todos os presentes. Para se firmar como sede, a capital contou com o apoio do Ministério do Turismo por meio do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur).

A competição, que acontece a cada dois anos, deve reunir cerca de 12 mil atletas, com idade entre 17 e 28 anos, de 166 países, e é o maior evento esportivo universitário do mundo.

Os jogos acontecem desde 1923 e foram sediados apenas uma vez no hemisfério sul, em 1963, na cidade de Porto Alegre (RS).

A proposta é que, além das 17 modalidades obrigatórias, a edição brasiliense inclua futebol de areia, futsal, triatlo, vela e vôlei de praia.

Legado

Brasília já possui, em um raio de 5km, instalações para sediar 70% das ações da Universíade, entre elas o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, o Ginásio Nilson Nelson, o Centro de Convenções, o Complexo do Corpo de Bombeiros, além do Lago Paranoá.

Há também a Esplanada dos Ministérios, que pode abrigar instalações temporárias para o beach soccer e vôlei de praia e, neste mesmo perímetro, podem ser realizadas as provas de ruas.

Essas características foram justamente os diferenciais para que a capital brasileira conseguisse chegar até o final da disputa, iniciada entre as cidades Baku, no Azerbaijão, e Budapeste, na Hungria.

Mas quem mais vai ganhar com a vinda da Universíade para Brasília são os moradores da cidade. A capital receberá investimentos para construir estruturas como o “Parque UnB”, onde serão erguidos o Complexo Aquático e o Complexo de Atletismo, que serão utilizados pelos alunos após os jogos olímpicos.

“Um evento desse porte é fundamental para colocar Brasília entre as grandes metrópoles mundiais com capacidade para receber uma universíade. (A competição internacional) é fundamental para o nosso projeto de tornar Brasília ainda mais reconhecida mundialmente”, destacou o governador em exercício, Tadeu Filippelli à Agência Brasília.

Segundo a Secretaria de Esporte, além do parque na universidade federal, será construída uma Vila Universitária, que receberá recursos financeiros por intermédio de parcerias com a iniciativa privada. A previsão é que, após os jogos, a estrutura seja disponibilizada para o uso da população.

Outras ações são reformas pontuais, como a manutenção e reforma da pista do Centro Integrado de Educação Física (CIEF), na 907/908 da Asa Sul, e a reforma do Ginásio Cláudio Coutinho, que faz parte do Complexo Poliesportivo de Brasília.

Para continuar a sediar grandes eventos, o GDF permanecerá com a política de modernização de toda a parte de mobilidade urbana, aeroporto, saúde e segurança.