Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
18/06/13 às 19h23 - Atualizado em 18/06/13 às 19h29

Setur-DF e FIPE mapeiam perfil do turista da Copa das Confederações

COMPARTILHAR

 Dados como preferências, o meio de transporte utilizado, o tipo de hospedagem escolhido, o tempo de permanência servirão de base nos preparativos para 2014

No último final de semana, Brasília recebeu cerca de 12 mil pessoas na abertura da Copa das Confederações no país. Para aproveitar a movimentação, que tende a ser repetida em maior escala em 2014, a Secretaria de Turismo do Distrito Federal colaborou com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE) no mapeamento do perfil dos visitantes.

“Disponibilizamos pessoal e oferecemos as condições necessárias para uma pesquisa que mostre o perfil, as preferências, o meio de transporte utilizado, o tipo de hospedagem escolhido, o tempo de permanência e outros aspectos relacionados à estadia do turista de eventos esportivos como a Copa. Queremos saber, exatamente, quem são as pessoas que escolheram Brasília e o impacto causado por elas na cidade”, explicou o secretário de Turismo do DF, Luis Otávio Neves.

Para o estudo, foram escalados 25 pesquisadores para aplicar cerca de 1.200 questionários nos pontos de entrada e saída da Capital Federal. O levantamento continuará até 15 dias após a Copa das Confederações, quando o país ainda estará recebendo o torneio em outras cidades-sede.

“Nos colocamos à disposição para fortalecer essa ações que nos trará parâmetros para planejar os investimentos que ainda se fazem necessários para a Copa do Mundo de 2014, seja no atendimento, na infraestrutura, na melhoria dos atrativos ou outros aspectos que tenham sido citados com avaliação não satisfatória”, disse a subsecretária de Políticas de Turismo da Setur-DF Ariádne Bittencourt.

A ação também conta com o apoio do Ministério do Turismo, que fortalece a participação dos órgãos estaduais na atividade. O estudo será realizado também nas outras cidades que recebem o campeonato de futebol deste ano. A expectativa é que os primeiros dados sejam liberados nos próximos meses.