Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/12/13 às 14h17 - Atualizado em 6/12/13 às 14h38

Memória e legado de Niemeyer vivos em Brasília

COMPARTILHAR

Um ano após a morte do mestre, lembrada nesta quinta-feira, a capital federal conta um pouco da importância do grande arquiteto para a capital de todos os brasileiros

Nesta quinta-feira (5) , há um ano, deixava o mundo, a dez dias de completar 105 anos, Oscar Niemeyer, o grande artista deixou o mundo sob comoção geral. Apesar da sua morte física, Niemeyer vive em seu legado de patrimônio cultural da humanidade, reconhecido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) há 26 anos e que deixou para a capital de todos os brasileiros.

O homem que tornou realidade o sonho do presidente Juscelino Kubitschek de trazer para o Centro-Oeste mais exatamente o coração do Planalto Central a capital do país, deixou um legado de 51 projetos para a cidade. O último projeto que o arquiteto conseguiu ver concluída foi a Torre Digital de TV em 2012. “Deste Planalto Central, desta solidão que em breve se transformará em cérebro das mais altas decisões nacionais, lanço os olhos mais uma vez sobre o amanhã e do meu país e antevejo esta alvorada, com fé inquebrantável e uma confiança sem limites no seu grande destino” , essas palavras visionárias se encontram registradas no Livro de Ouro de JK, às 7h45 do dia 2 de outubro de 1956, quando o então presidente sobrevoou 2 mil metros da “vastidão desconcertante do vazio”.

Após a sanção da Lei nº 2874 de 1956, as obras começaram em novembro daquele ano, e em três anos, entre as quatro escalas idealizadas pelo urbanista Lúcio Costa já podia ser observada a monumental, centro das decisões políticas do Brasil e do DF. Oscar Niemeyer desafiou o convencional ao apresentar vãos audaciosos e curvas a capital.

Entre os projetos de Niemeyer para a capital, o Instituto de Arquitetos do Brasil no aniversário de 50 anos, em 2010, dividiu as obras do artista em cinco roteiros. O primeiro contempla a Esplanada dos Ministérios que abrange o Setor de Diversões Norte até a Praça dos Três Poderes, o segundo o Roteiro Eixo Monumental abriga a Rodoferroviária até o Memorial dos Povos Indígenas. Já o Roteiro Niemeyer Histórico, aponta o Catetinho até o Brasília Palace Hotel. A Universidade de Brasília também entrou no traçado do mestre e abriga o Instituto Central de Ciências até o antigo Instituto de Teologia (atual Fundação Educacional do DF) e o Roteiro Niemeyer completo que apresenta o Quartel General do Exército até a Capela Dom Bosco) .

Em Brasília na tarde desta quinta-feira (5), a Catedral Metropolitana celebrou missa pelo padre George Albuquerque Tarja em memória a Niemeyer.

Para saber mais sobre horários de visitação e sobre a história de cada um, acesse o blog.