Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
7/05/14 às 20h58 - Atualizado em 7/05/14 às 21h05

Equatorianos prontos para a Copa em Brasília

COMPARTILHAR

Pela segunda vez, o Equador disputa uma Copa do Mundo e se dizem animados em participar do maior evento esportivo no país do futebol

(Cuenca- Equador) Basta ouvir sotaque brasileiro nas ruas para que os equatorianos façam uma grande festa em torno da Copa do Mundo. Pela segunda vez após 50 anos, o mundial futebolístico ocorre na terra da seleção mais famosa e admirada por todos os fanáticos por futebol. O assunto já prevalece no país que enfrentará a Suíça na estreia do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha no Mundial, no dia 15 de junho.

Toda a movimentação é acompanhada pela expectativa de embarque para assistir de perto a partida já marcada na Capital Federal. Diversas agências de viagens já vendem pacotes voltados exclusivamente para os jogos no Brasil e garantem que o interesse é grande.

“Os equatorianos são fanáticos por futebol e pelos times locais. Quem não gostaria de ir ao Estádio assistir? Os jogos do Mundial serão, sem dúvidas, acompanhados de perto e de longe pelos torcedores daqui”, disse o agente de viagens Franklin Martínez.

Para o coordenador de Desenvolvimento Organizacional da Fundação de Turismo de Cuenca, Gustavo Saquisilí, as facilidades vão além dos pacotes completos oferecidos pelas empresas de viagens.

“Os preços são moderados, as pessoas aqui têm condições de arcar. Mais do que isso, temos facilidade de voos para o Brasil, cujo percurso pode ser feito em até quatro horas (com escalas), e facilidade com o idioma. É simples entender o português e os brasileiros também têm familiaridade com o espanhol”, afirmou.

Além da proximidade do idioma, os equatorianos guardam outras características em comum com os brasileiros, a animação e a torcida pelo time verde e amarelo. “Vamos torcer pela nossa seleção, mas no fundo todo o mundo tem uma queda para ver o Brasil jogar. Os brasileiros são nossa segunda aposta para levar a taça” admitiu o estudante Esteban Cordero.