Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
3/10/13 às 20h20 - Atualizado em 3/10/13 às 20h53

Debate enriquece 1ª Jornada “Brasília Patrimônio Cultural”

COMPARTILHAR

Secretário participou de mesa redonda sobre as singularidades de Brasília

Após três dias de uma intensa programação para promover e sensibilizar a sociedade alunos e professores sobre as questões patrimoniais, arquitetônicas e urbanísticas do Distrito Federal, a 1ª Jornada “Brasília Patrimônio Cultural” chegou ao penúltimo dia com uma mesa redonda que reuniu autoridades relacionadas ao tema para debater as singularidades da capital do Brasil.

Durante a tarde desde quinta-feira (3), no Museu Nacional, Luís Otávio Neves, secretário de Turismo do DF; Frederico Barboza, diretor do curso de arquitetura e urbanismo da Católica; José Galvão, Superintendente do Iphan no Distrito Federal; Iara Oliveira, professora coordenadora do projeto; e representantes da secretaria de cultura e do conselho de arquitetura responderam a questionamentos como “Por que Brasília, desde sua construção, desperta interesse internacional?, “Qual a identidade de Brasília?” e “Quais os principais problemas de Brasília?”.

“Esse debate é fundamental para preservar nossa cidade. Brasília é uma cidade única e sabemos que sua singularidade é algo que desperta o interesse de arquitetos do mundo inteiro”, defendeu Neves. “Na secretaria trabalhamos essas características que nos fazem um destino impar para atrair cada vez mais turistas para a cidade. O turismo cívico e arquitetônico são grandes diferenciais que cada vez mais tem atraído visitantes para nossa cidade.”, completou.

Segundo diretor do Sirchal (Site Internacional de sobre a Revitalização dos Centros Históricos das Cidades da América Latina e do Caribe), Leoncio Orellana, o debate iniciado com o projeto de pesquisa realizado no âmbito do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Catolica de Brasilia (CAU-UCB), em uma parceria com a Maison de l'amerique Latine e o Glossário SIRCHAL, trouxe a tona a necessidade de se trabalhar a questão patrimonial de Brasília de uma forma diferente.

“Brasília tem que ser explicada e reinterpretada pelo mundo. Ela tem coisas que são próprias, como as escalas de Lucio Costa, que precisam ser preservadas, pois foram essas singularidades que a transformaram em um patrimônio da humanidade”, defendeu.

Jornada

A 1ª Jornada “Brasília Patrimônio Cultural” nasceu para apresentar o resultado de um projeto de pesquisa de 2 anos dos alunos do curso de arquitetura e urbanismo da católica. Esse trabalho gerou um site chamado “Olhares sobre Brasília”no endereço eletrônico http://www.cau.arq.br/olhares/

A página traz novos verbetes, desenhos, mapas, esquemas, fotografias e vídeos sobre como as pessoas vivem e veem Brasília para estimular a preservação das áreas históricas da capital federal.