Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/01/21 às 11h53 - Atualizado em 19/01/21 às 12h08

Capital Federal se despede do Brasília Iluminada

COMPARTILHAR

 

 

A primeira edição do Brasília Iluminada – Capital da Esperança se encerrou neste domingo (17) com uma noite mágica que encheu os olhos de quem passou pelo Eixo Monumental e Esplanada dos Ministérios. Pela primeira vez, durante 30 dias, a capital federal se transformou, definitivamente, em uma “cidade-luz” e encantou moradores e visitantes.

 

O evento teve início na Praça do Cruzeiro, com a participação do Grupo Bailarinos de Brasília, do Coral de Cegos do projeto Waldir Azevedo e apresentações da Orquestra Sopros da Filarmônica de Brasília. Em seguida, um show de fogos de artifício iluminou o céu da capital. “Um evento que trouxe um alento diante de um ano tão difícil. Estávamos todos carentes de cultura, arte e, realmente, foi um alimento para a alma”, resumiu a professora Ana Elisa de Nadal, que fez questão de comparecer até o último momento com a família.

 

O encerramento do projeto contou com a presença da primeira-dama e secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha; da Secretária de Turismo, Vanessa Mendonça; da secretária da Mulher, Ericka Fillipelli; do Secretário de Economia, André Clemente; e do secretário de Desenvolvimento Econômico, José Eduardo Pereira.

 

 

Iniciativa do Governo do Distrito Federal (GDF), com atividades coordenadas pelas secretarias de Economia (Seec), Cultura e Economia Criativa (Secec), Desenvolvimento Social (Sedes) e Turismo (Setur), o Brasília Iluminada promoveu um espetáculo de luzes e cores na capital. O projeto abrangeu desde a Esplanada dos Ministérios até a Catedral Rainha da Paz, no Eixo Monumental, e chegou inclusive às Regiões Administrativas (RAs) com o Trenó Luz.

 

Ao todo, foram 415.770 metros quadrados de área implantada, com mais de 200 mil metros de fios elétricos; 180 árvores cenográficas de LED, sendo uma com 32 metros de altura; sete velas gigantes, montadas em estrutura de alumínio, a central com 18 metros de altura; e cinco caixas de presentes, sendo uma com 10 metros que, pela primeira vez, fez nevar no gramado da Esplanada, transformando a experiência em um momento ainda mais mágico. Tudo seguindo as medidas de segurança impostas pela pandemia.

“Foi uma experiência incrível. A neve na caixa de presente me surpreendeu. Vou ficar com saudade”, revelou a pequena Lavínia Ayala, de 11 anos. “Moro em Brasília há mais de 10 anos e nunca tinha visto a cidade com uma decoração tão linda. Gostei muito, inclusive fiz questão de tirar fotos em todos os letreiros gigantes, principalmente com a palavra superação. Ela representa muito o ano que passou e quero levar essa mensagem na memória”, contou a artesã Clorinda Maria de Canhizares.

 

Encanto também no Céu de Brasília, espaço localizado na Praça do Cruzeiro e cenário de muita música, dança e poesia. Ao longo do evento, foi a grande oportunidade para os 450 artistas locais contratados mostrarem sua arte no palco. A professora Isabel Torres veio de Taguatinga com a família e se emocionou durante o encerrado do último espetáculo. “Viemos ao Brasília Iluminada atrás de coisas boas e belas e encontramos. Fico muito emocionada de ver quantas coisas lindas temos na nossa cidade. Em ver crianças e o futuro de dias melhores”, frisou a professora.

 

Além da decoração, o Brasília Iluminada ostenta outros grandes feitos: o evento gerou mais de 6 mil postos de trabalho, com 100% de mão de obra local, geração de renda, e incremento ao turismo da capital.

 

O artesanato também fez parte do espetáculo. No Espaço Luz do Mundo, atrás da Catedral Rainha da Paz, espaço em que havia um presépio virtual com 14 personagens em escala real, seis contêineres foram montados e disponibilizados gratuitamente para 60 artesãos, que, por meio do projeto e em rodízio, ganharam um novo ponto de negócios e oportunidade para a divulgação de sua arte. A artesã Telma Carvalho comemorou a participação e quer voltar. “Isso aqui é maravilhoso. Já queremos o Brasília Iluminada sempre, em todas as datas comemorativas. A cidade ficou linda e o espaço aqui, montando especialmente para nós trabalharmos, foi excelente. Nós, artesãos, fomos muito bem recebidos e tratados”, afirmou Telma.

 

O secretário de Economia do DF, André Clemente, destacou os resultados positivos da atração. “O Brasília Iluminada tem muitas conquistas e a maior delas é a autoestima. Valorizar a nossa cidade e as pessoas. Ver as famílias juntas, se divertindo e gratuitamente, seguindo todas as medidas de segurança necessárias. Brasília mudou e a nossa iluminação de Ano Novo foi diferente também. Foram mais de 450 artistas locais, que atuaram nesse evento maravilhoso, e mais de 6 mil postos de trabalho. Então, além de todo o resultado de uma cidade iluminada, geração de emprego e impacto na economia, o evento tem esse viés social, em um momento tão difícil como foi 2020. Espero que todo ano esse projeto seja aperfeiçoado e que Brasília seja sempre essa cidade luz. A capital iluminada para todos os brasileiros”, afirmou o secretário.

 

 

 

A secretária de Turismo do DF, Vanessa Mendonça, também comemorou o sucesso do evento e reforçou sua importância para a ressignificação da cidade. “O momento agora é de gratidão. O Brasília Iluminada é um projeto inovador, criativo e único. Ele mudou a rotina do nosso DF e revelou a todos a capacidade da nossa capital em se reinventar, oferecendo a sua população e visitantes uma experiência única de interação com as tradicionais luzes de ano novo. Um exemplo do quanto Brasília é diferente de tudo o que as pessoas imaginam e vai muito além. Não tenho a menor dúvida que esses 30 dias de evento transformaram a vida das pessoas e a percepção de muitos em relação a nossa cidade. Isso é o que o nosso Governo faz: nós ressignificamos o Distrito Federal em todos os sentidos e esse trabalho é visto e sentido, todos os dias, na prática. Por meio do Brasília Iluminada, mostramos, mais uma vez, que somos a capital do Brasil, do mundo, e estamos prontos para acolher, receber e fazer com que o turismo possa ser a transformação social e econômica na nossa cidade”, conclui a secretária.