Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/06/12 às 3h00 - Atualizado em 11/10/17 às 16h44

Câmara aprova Política de Turismo do Distrito Federal

COMPARTILHAR

A votação aconteceu na Comissão de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Ciência, Tecnologia, Meio Ambiente e Turismo e o no Plenário da Casa

A proposta de Política de Turismo elaborada pela Secretaria de Turismo do Distrito Federal (Setur-DF) foi aprovada, ontem (27), na Câmara Legislativa do DF. O texto foi aceito por unanimidade e sem nenhuma modificação. Esta é a primeira vez que a cidade conquista, por meio de lei, um planejamento integrado e permanente de desenvolvimento do Turismo. O Projeto segue agora para a sanção do governador do DF, Agnelo Queiroz.

A votação aconteceu na Comissão de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Ciência, Tecnologia, Meio Ambiente e Turismo e o no Plenário da Casa. “A Política traz diretrizes para as principais ações estratégicas para o avanço do setor na cidade. Por meio do documento, mostramos o que pensamos e quais caminhos queremos seguir para promover o desenvolvimento para o Turismo, com pontos como a sustentabilidade, tolerância, competitividade, valorização, promoção, integração, entre outros”, explica o secretário de Turismo do Distrito Federal, Luis Otávio Neves.  

Esta foi também a primeira vez que se aprovou, na íntegra, um texto antes validado por um conselho consolidado, como o Conselho de Desenvolvimento do Turismo do DF (Condetur). “Não é uma imposição da Secretaria de Turismo. É um trabalho conjunto de todos que desenvolvem atividades turísticas no DF e que colaboram para o crescimento dessa importante atividade econômica na nossa região”, salientou Neves.

A importância da atividade turística

A atividade turística movimenta 50 milhões de viagens por ano, gerando mais de 30 bilhões de dólares por ano (dados da Caribbean Tourism Organizatios). Hoje essa atividade é formada por diversos elementos como transporte, hospedagem, alimentação e lazer. Essas atividades têm importância significativa no PIB do DF. O setor de transporte rodoviário, por exemplo, representa 38%, seguido do de alimentação e transporte aéreo, ambos com 8% cada um, e do setor de hospedagem, com 5%.

Uma pesquisa do IPEA/Codeplan, realizada em 2010, mostrou que a atividade de transportes é a que mais contribui com empregos formais no DF com um total de 11,2 mil, seguida do setor de alimentação com 5,2 mil e depois alojamento com 2,8 mil. Essas três atividades representam 81% do emprego formal nas atividades características do turismo (ACT’s) no DF sendo 47% transporte, 22% alimentação e 12% alojamento.

As ACT’s empregavam 23588 pessoas no DF em dezembro de 2009 representando 3,8% do numero de empregos formais da economia local. Entre 2002 e 2009 houve um aumento de 48% no emprego formal do turismo no DF correspondendo a 7,7 mil novos postos de trabalho. A média de crescimento anual foi de 5,8%.

No caso do setor de transportes percebemos que os eventos realizados na cidade têm sido fundamentais para esse crescimento. De acordo com a Associação Brasileira de Locadoras de Automóveis do Distrito Federal (ABLA-DF), o ano de 2010 registrou um aumento de 18% no setor em relação a 2009.  De 2002 até 2008 esse crescimento foi de 96,61%. O número de locadoras de veículos subiu de 46, em 2007, para 52, em 2010, empregando 10360 pessoas. O número de locações de automóveis no turismo de negócios e eventos é de 4865 enquanto no de lazer é de 2432.

A área de gastronomia também melhorou e aumentou sua oferta de restaurantes de 100 para 2 mil nos últimos 10 anos. Hoje Brasília é o terceiro pólo gastronômico do país. Tudo isso, sem dúvida, é um reflexo do aumento de visitantes na nossa cidade, por isso é tão importante formalizar uma política que incentive um melhor crescimento dessa atividade no DF.