Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
4/06/13 às 17h38 - Atualizado em 11/10/17 às 16h44

Brasília terá a terceira edição do Festival de Ópera

COMPARTILHAR

Evento terá espetáculos Carmen e Olga, além de um concerto em homenagem ao bicentenário de Wagner e Verdi

Pelo terceiro ano consecutivo, a Sala Villa-Lobos do Teatro Nacional vai respirar ópera por quase um mês. Com direção geral do maestro Cláudio Cohen, o III Festival de Ópera de Brasília será realizado de 12 de junho a 7 de julho, com 11 apresentações das óperas Carmen e Olga e de um concerto em homenagem ao bicentenário dos compositores Wagner e Verdi. Além disso, será feita uma homenagem ao diretor cênico Fernando Bicudo. Os ingressos custarão R$ 30, a inteira, e R$ 15, a meia-entrada, e as récitas serão sempre às 20h.

A programação do III Festival de Ópera de Brasília começa com Carmen, de Georges Bizet, com regência de Cláudio Cohen e direção de Willian Pereira. “Essa visão de Carmen é diferente da apresentada no ano passado. A direção de Pereira apresenta uma visão mais autêntica, com uma cigana mais revolucionária”, afirma o maestro. O diretor Willian Pereira também assina o cenário e os figurinos e completa: “É uma Carmen mais sóbria e não uma Carmen floral. Eu vejo essa Espanha franquista da época da guerra civil sem o clichê da Espanha turística”.

Bicentenário

A segunda atração do III Festival de Ópera de Brasília será um concerto em homenagem a dois grandes compositores: o italiano Giuseppe Verdi e o alemão Richard Wagner. “Esse ano comemora-se os 200 anos do nascimento deles, que são dois nomes da música clássica que têm uma visão operística”, afirma Cohen. Ele adianta que o concerto terá a participação de coro, orquestra e de quatro solistas: a croata Dupravka Separovic-Musovic mais Janete Dornellas, Homero Velho e Helenes Lopes.

No programa as aberturas das óperas Os Mestre Cantores e Rienzi e árias de Tristão e Isolda, de Wagner, além de trechos de Va Pensiero da ópera Nabucco, Brindisi de La Traviatta, Grande Marcha Triunfal da ópera Aída e a abertura da ópera A Força do Destino. Todas de Verdi.

 

*Com informações da Secretaria de Cultura