Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
17/06/20 às 19h44 - Atualizado em 17/06/20 às 19h44

Brasília se destaca com medidas efetivas e se firma como destino seguro

COMPARTILHAR

Desde o momento que chegam na cidade pelo Aeroporto, brasilienses e visitantes se deparam com cuidados e protocolos que o GDF e parceiros estão adotando para o enfrentamento ao Covid-19

 

 

A pandemia causada pelo Covid-19 tem exigido medidas rápidas. Nesse cenário, o Governo do Distrito Federal tem se destacado no enfrentamento ao novo coronavírus de uma forma transparente. E foi o quesito transparência que levou o DF, com a nota máxima de 100 pontos, a alcançar o primeiro lugar no ranking da Open Knowledge Brasil (OKBR). Reconhecimentos como esse, entre outras ações concretas, colocam o Distrito Federal como um destino seguro quando o turismo retomar as atividades.

 

A avaliação considera a publicação de informações em sites oficiais do governo referentes a questões que envolvem a pandemia da Covid-19 – como casos, status de atendimento, doenças preexistentes, ocupação de leitos e testes, entre outros enfoques.

 

“Nós somos um exemplo de destino turístico seguro e mostramos isso mais uma vez no combate ao Covid-19. O nosso governador, Ibaneis Rocha, saiu na frente e implementou medidas efetivas para proteger a nossa população. Hoje, Brasília se destaca pela transparência das ações. Quando as atividades turísticas forem liberadas, estaremos de portas abertas”, ressalta a secretária de Turismo do DF, Vanessa Mendonça.

 

O Aeroporto de Brasília, como grande porta de entrada da cidade, também está seguindo todos os protocolos e se mobilizando para impedir uma propagação ainda maior da pandemia. A Inframerica, administradora do local, implementou diversas medidas para diminuir os riscos de contágio de passageiros e funcionários pelo Covid-19 no terminal aéreo. A concessionária foi pioneira em ações que trarão mais tranquilidade àqueles que precisam viajar em meio a pandemia.

 

Desde março, o Aeroporto de Brasília tem seguido rigorosamente as recomendações da Anvisa e Ministério da Saúde. Em todo o terminal aéreo é obrigatório o uso de máscaras por passageiros e funcionários. Assim que chegam no Aeroporto, os passageiros são recepcionados com comunicados e avisos sonoros que alertam sobre os riscos trazidos pelo Coronavírus. Dispensers de álcool gel estão espalhados por diversos pontos pelo terminal e em todas as áreas administrativas. Lojas e restaurantes também oferecem álcool gel para os clientes. A reposição de sabão nos banheiros também foi intensificada.

 

Ao embarcar em voos domésticos, os usuários do Aeroporto de Brasília passam por um sistema de detecção da temperatura da pele medida por uma solução termográfica que processa as informações de até 30 pessoas simultaneamente. O Terminal brasiliense é o primeiro do país a adquirir o equipamento da empresa Hikvision. Além da temperatura, o sistema também detecta o uso de máscaras de proteção e fornece as informações em uma tela presente no local. A equipe dos bombeiros civis de aeródromo da Inframerica atua no local monitorando passageiros e ajudando na conscientização sobre a doença.

 

“Estamos tomando todas as medidas para que os passageiros possam embarcar e desembarcar com tranquilidade. Entre as diversas ações que estamos promovendo está a aferição da temperatura de todos os passageiros que chegam e saem de Brasília. Além disso, intensificamos a supervisão do uso de máscaras e instalamos toda uma sinalização que reforçam o distanciamento social”, diz Roberto Luiz, head de negócios aéreos da Inframerica.

 

Turismo doméstico

O turismo doméstico será o primeiro a se recuperar. A informação é da pesquisa apresentada pela consultoria Cap Amazon e pelo portal Mercado & Eventos. Foram avaliadas as perspectivas de mais de 400 agentes de viagem das cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Curitiba. Para 55% dos entrevistados, a retomada do turismo será mais rápida no mercado doméstico. A procura por destinos nacionais também foi apontada como uma tendência, assim como o turismo de saúde e destinos menos frequentados.

 

O estudo também constata uma possível mudança no perfil dos turistas brasileiros. Após o confinamento, agências esperam uma maior demanda de clientes em busca de viagens a lazer e para visitar amigos e familiares. Destinos e serviços que proporcionem bem-estar e contato com a natureza são citados, pela maior parte dos consultados, como segmentos em alta na retomada do turismo.