Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/05/18 às 11h20 - Atualizado em 15/05/18 às 14h49

Brasília no 2º Encontro da Rede Brasileira de Observatórios de Turismo

COMPARTILHAR

O Observatório do Turismo do Distrito Federal, da Secretaria de Esporte, Turismo e Lazer, participa do 2º Encontro da Rede Brasileira de Observatórios de Turismo, que ocorre nesta quarta-feira (9/5), no Parque Tecnológico Itaipu, em Foz do Iguaçu. Ao total 27 observatórios de todo o país participam do encontro, assim como representantes de órgãos governamentais e instituições de pesquisa.

 

Um dos destaques da programação é a palestra Os observatórios de turismo como instrumentos para construção de destinos turísticos inteligentes, ministrada por Federico Zerba, do Observatório Turístico de Buenos Aires. Também faz parte do evento minicursos e o debate de encerramento Como viabilizar a realização e divulgação de pesquisas para facilitar tomadas de decisão?, com a participação de representantes da área.

 

“Esse é um encontro importante para debater os funcionamentos da Rede Brasileira de Observatórios, sendo uma verdadeira troca de experiências para o desenvolvimento do Observatório, nossa ferramenta primordial para gestão, planejamento e monitoramento do fenômeno turístico. Reunimos nessa plataforma dados, boletins, publicações”, destaca o secretário de Esporte, Turismo e Lazer, Jaime Recena.

 

O 2º encontro tem a proposta de reunir os Observatórios de todo o país para propiciar o intercâmbio de dados, estudos e estatísticas além de harmonizar as metodologias e estatísticas turísticas no Brasil de forma alinhada com as Recomendações Internacionais de Estatísticas de Turismo – 2008 e com as recomendações do Projeto CONESUL.

 

Dentre os principais encaminhamentos do evento estão a estruturação da Rede Brasileira de Observatório, com a sua formalização; a proposição de indicadores e suas metodologias a serem trabalhadas pelos observatórios da rede; melhor efetivação da comunicação dos observatórios integrantes; e a elaboração de manuais metodológicos de pesquisas e indicadores, para que num futuro próximo as pesquisas realizadas pelos observatórios possam ser comparadas, por exemplo, uma pesquisa realizada no carnaval do Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Bonito possam ser comparadas.