Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/03/20 às 10h47 - Atualizado em 19/03/20 às 10h49

ABIH-DF adota medidas para orientar os seus associados sobre o coronavírus

COMPARTILHAR

Procedimentos foram esclarecidos nesta quarta-feira (15) com o apoio do GDF

 

A rede hoteleira está preparada para prevenir infecções pelo coronavírus no país. A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis Nacional (ABIH) tem divulgado uma série de medidas preventivas e orientações para manejo de hóspedes com sintomas compatíveis com o COVID-19. Nesta quarta-feira (15), a secretária de Turismo do DF, Vanessa Mendonça, promoveu uma reunião via internet para a presidente da ABIH-DF, Adriana Pinto; e o diretor de Operações da Hplus Hotelaria, Plínio Silveira; conversarem com o médico infectologista da Secretaria de Saúde, Eduardo Hage.

 

O Governo do Distrito Federal, a Secretaria de Turismo e o trade estão se mobilizando e tomando medidas imediatas para combater o coronavírus. A capital possui 20 mil quartos e a rede hoteleira é vital para o funcionamento do turismo e movimentação de pessoas nas cidades.

 

Diante do cenário, a ABIH Nacional tem reforçado às associações de cada estado e do Distrito Federal iniciativas que devem ser informadas a rede hoteleira local. Entre as ações, estão o treinamento de funcionários e colaboradores sobre a origem, sintomas, transmissão, prevenção e tratamento do coronavírus; disponibilização de álcool em gel; intensificação da higienização pessoal, de objetos e de locais de uso comum, entre outras ações.

 

Para a secretária de Turismo, Vanessa Mendonça, as medidas adotadas pelo Governo do Distrito Federal são essenciais para proteger a população e avançar com muita responsabilidade, união e determinação no enfrentamento dessa realidade, com a adesão de todos os setores. “Estamos defendendo a saúde coletiva e a atuação do governador Ibaneis Rocha junto com o trade turístico soma forças”, reforça.

 

“A nossa iniciativa se une a todas as importantes ações do GDF e incentiva que os hoteleiros de todo o país façam a sua parte, implementando ações para diminuir o impacto do coronavírus em nosso país”, explica a presidente da ABIH-DF, Adriana Pinto, que reúne 37 associados na capital federal. As medidas estão todas de acordo com as recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

 

Nos casos em que o hóspede apresentar sintomas do coronavírus como tosse, febre ou dificuldade para respirar, a orientação é que ele seja encaminhado para uma unidade de saúde e o caso seja acompanhado. Também deve ser feita a higienização devida dos locais utilizados. A rede hoteleira foi orientada ainda a notificar a vigilância sanitária local, especialmente se a viagem anterior tenha origem em países com casos confirmados da doença.

 

“Como já sabemos, ele se espalha de forma semelhante à gripe, principalmente, através do ar e do contato físico, assim, listamos essas medidas simples para serem passadas aos meios de hospedagem associados de cada ABIH pelo país”, conclui Adriana.

 

Veja todas as recomendações repassadas à rede hoteleira associada do Brasil por meio da ABIH:

– Manter disponível nas dependências dos estabelecimentos álcool gel para que todos possam manter suas mãos limpas e descontaminadas

– Colaboradores que têm contato direto com o público como recepção, governança, eventos e restaurante, devem realizar o procedimento antes e após cada atendimento

– Evitar contato físico muito próximo

– Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir

– Higienizar as mãos após tossir ou espirrar

– Maior rigor na limpeza dos quartos, banheiros e locais de uso público

– Mais cuidado no manuseio de roupas sujas e de objetos de uso pessoal como talheres, pratos, copos ou garrafas

– Higienização constante de maçanetas, elevadores e outros locais de manuseio coletivo

– Treinar os colaboradores de todos os setores sobre o coronavírus (origem, sintomas, transmissão, prevenção e tratamento)

– Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca, usando se necessário lenços descartáveis

– Manter os ambientes bem ventilados

– Em caso de hóspedes ou colaboradores com sintomas, encaminhar para unidades de saúde, higienizar os locais utilizados e acompanhar o diagnóstico

– Notificar a Vigilância Sanitária de possíveis casos suspeitos de hóspedes e colaboradores, especialmente se a procedência da viagem anterior seja de países com casos confirmados

 

 

Confira o vídeo com o médico infectologista da Secretaria de Saúde, Eduardo Hage: